quinta-feira, 22 de abril de 2010

the state

"Ao final de uma meia hora, diz algumas frases gerais sobre os períodos de branco, prolonga a minha dispensa do trabalho e aumenta as minhas doses de medicamento. Revela-me também que o meu estado tem um nome: depressão. Oficialmente, portanto, estou em depressão. Parece-me uma boa fórmula. Não que eu me sinta muito embaixo. É antes o mundo em torno que me parece muito alto."

Michel Houellebeqc em "Extensão do Domínio da Luta"

segunda-feira, 22 de março de 2010

today, yesterday

Havia sempre esse nível subliminar - e às vezes não muito subliminar - de rivalidade e profunda, profunda, profunda paranóia. Quer dizer, você está ligado há nove dias, são visão periférica está turvando, tudo está se movendo na sala, você não sabe nada de nada, então um comentário casual adquire um profundo, profundo, profundo significado, de im portância cósmica. Isso realmente f* com você.

quinta-feira, 18 de março de 2010

P.S.: I Love You


O amor é capaz de destruir a barreira entre a vida e a morte. A tênue linha entre o ser e o deixar, entre a respiração e o suspiro lento, que beira a morbidez. Não podemos fugir dela, visto que somos seres humanos, criaturas tão orgânicas quanto a própria terra em que vamos apodrecer. Existem pessoas que não deixam passar. Pessoas que, mesmo padecendo, pensam apenas no próximo, aquele que vai ficar, que vai sentir, que vai sofrer. Existem pessoas especiais. Gente que vem pra recompor, pra ensinar, pra ajudar, mas que vai embora cedo demais pra poder receber a recompensa. Uma história linda, envolvente, visceral, que muda o pensamento daquele que se envolve...


sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

you used to look so damn cute

Os jasmins não tem mais o mesmo aroma. Os lilases da sacada já secaram e as folhas das laranjeiras do jardim do vizinho idoso estão caindo aos montes no nosso quintal. Não temos mais os beija-flores nos visitando, não temos mais as abelhas zumbindo insistentemente em nossos ouvidos, não temos mais afeição um pelo outro. Assim como os pássaros migraram, nós estamos nos distanciando, cada dia mais, e não vejo um modo ou um motivo ou uma ponte para que tentemos outra vez. Você mudou, você virou um estranho outra vez, seus hábitos mudaram, suas manias deixaram de ser interessantes e se tornaram ridiculamente insuportáveis.
Gostaria de te ver daquele jeito mais uma vez. Talvez apenas por mais uma vez, uma única vez em que eu te olhasse e visse aquela insegurança divertida que você costumava manter no olhar. Uma única vez em que eu olhasse nos teus olhos e visse isso como uma coisa bonita. Uma coisa simpática. Uma coisa natural. Seus olhos não me dizem mais nada de profundo, e talvez nem de superficial. Seus olhos não me dizem mais nada e isso é um sinal de que não vamos voltar a ser os mesmos, não vamos mais acreditar um no outro quando dizemos "eu te amo" ao pé da cama ou antes de dormir ou depois do café da manhã que eu te preparava com tanto carinho todo dia as 6 da manhã. Não vamos olhar pra trás e nos lembrar dos momentos bons. Talvez nem dos ruins. Talvez nem olhemos mais para trás...
Enquanto você fica parado no seu eterno presente, eu corro sem parar em direção ao que eu ainda não conheço, mas que sei que fica no extremo sul de tudo aquilo em que acredito...

"o corpo se expressando, clínico, da triste solidão, a rúbrica..."

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

tododia

"Eu preciso muito muito de você eu quero muito muito você aqui de vez em quando nem que seja muito de vez em quando você nem precisa trazer maçãs nem perguntar se estou melhor você não precisa trazer nada só você mesmo você nem precisa dizer alguma coisa no telefone basta ligar e eu fico ouvindo o seu silêncio juro como não peço mais que o seu silêncio do outro lado da linha ou do outro lado da porta ou do outro lado do muro.Mas eu preciso muito muito de você."

Caio F.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

run run run

Primeiro post do ano, e eu falando de gritos internos.
Muito apropriado.
Ouvir Madonna e sentir o orgulho batendo na tampa é mais apropriado ainda, considerando que ela não para de gritar "SHE'S NOT ME AND SHE NEVER WILL BE!"
As pessoas não param de se despedir de mim e isso não é legal.
Não consigo parar de clicar em "Chegou e-mail?"... não que eu tenha um bom motivo pra isso, já que os outros tem muito mais o que fazer do que me mandar e-mails em quartas-feiras de noite.
Mas eu não preciso exatamente de um motivo pra isso.
Preciso?
Pessoas agregam motivos bestas só para fazer com que suas atitudes pareçam menos bestas.
O que elas não reparam é que só estão aumentando a bestialidade da coisa.
Chegou e-mail?
never will be never will be never will be
Não ter um lugar para voltar é muito triste.
Triste e nojento.
Eu gosto de frases soltas.
Ah, eu sei que você já reparou.
E não me venha com esse sorriso de sorvete de baunilha, eu não vou me render.
Chegou e-mail?
Parem de falar comigo no msn! Pombas!
Se querem falar comigo, me mandem e-mails, já que estou checando eles a cada duas frases da Madonna.
Ok, já chega de pensar. Queria pause no cérebro. Queria uma bala de banana.
Queria um beijo teu.
never will be

(a propósito, não chegou nenhum e-mail até agora. hasta...)

grito interno

a quebra do silêncio que só você escuta;
a quebra do silêncio que, só, você escuta.